Desfile de sábado no sambódromo de São Paulo

No segundo dia de desfiles em São Paulo, no sábado com  muita chuva,a escola  Pérola Negra, a primeira a desfilar homenageou os povos ciganos. A Colorado do Brás, contou a trajetória de Dom Sebastião, rei de Portugal. A Gaviões da Fiel, que se dedicou ao amor, com a estreia do carnavalesco Paulo Barros no carnaval de São Paulo. Barros já venceu quatro títulos no carnaval carioca – defendendo a Portela e a Unidos da Tijuca. A Mocidade Alegre contou a história dos orixás femininos e o poder da mulher. A Águia de Ouro desfilou com um enredo, sobre a importância do saber na sociedade brasileira.

A Unidos de Vila Maria, considerada uma das favoritas em um ano que teve algumas das escolas mais tradicionais rebaixadas para o grupo de acesso, trouxe para a avenida uma homenagem ao povo chinês. Com o samba-enredo O Sonho de um Povo Embala o Samba e Faz a Vila Sonhar, a Vila Maria falou “das coisas boas que a China fez pela humanidade”,

A Rosas de Ouro, que fechou o carnaval do grupo especial de São Paulo, apostou na tecnologia. Com Tempos Modernos, a escola apresentou uma série de inovações. Com o uso de um aplicativo, quem estava acompanhando a escola na avenida teve uma experiência de realidade aumentada e, por meio de um QR Code, pode conferir um carro projetado unicamente para o mundo virtual.

Foi uma noite de muitas emoções e alegria!!

Pérola Negra

Quarto carro da Pérola Negra traz os mistérios e a magia do povo cigano 

No segundo dia de desfiles do grupo especial de escolas de samba, que iniciou às 22h30, a Pérola Negra abriu os desfiles e prestou homenagem ao Povo Cigano.

As ciganas da Pérola Negra
Último carro da Pérola Negra representa as terras de Andaluzia

Um dos destaques da escola foi o carro que retratou a relação com a região de Andaluzia, na Espanha

Abre Alas da escola

Colorado do Brás

Colorado do Brás, contou a trajetória de Dom Sebastião, rei de Portugal

A escola Colorado do Brás tem abre-alas com 30 homens de sunga branca

 Camila Prins é a primeira Rainha de bateria transexual 
Colorado do Brás: Segundo carro fala sobre o desejo de D. Sebastião de conquistar o Marrocos

Gaviões da Fiel

Gaviões da Fiel cantou o amor e levantou arquibancada do Anhembi, com a estreia do carnavalesco Paulo Barros no carnaval de São Paulo. Barros já venceu quatro títulos no carnaval carioca – defendendo a Portela e a Unidos da Tijuca. A Mocidade Alegre contou a história dos orixás femininos e o poder da mulher. A Águia de Ouro desfilou com um enredo, sobre a importância do saber na sociedade brasileira.

Sabrina Sato Rainha da Bateria da Fiel
Ala que encenou “Romeu e Julieta” em desfile da Gaviões da Fiel incendiou a platéia

O samba “Um Não Sei Que, Que Nasce Não Sei Onde, Vem Não Sei Como e Explode Não Sei Porquê” foi inspirado em uma frase do poeta Luís de Camões (1524-1580)

Mocidade Alegre

Rita Dotta é destaque em carro de Iemanjá da Mocidade Alegre

Com samba bastante cantado no Anhembi, escola exaltou orixás femininos da água e apostou em sua força para proteger a natureza. Carro sobre Iemanjá tinha 5 mil litros de água reutilizada

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira
Carro 4 da Mocidade Alegre traz essência do ventre feminino
A bela Rainha de bateria da Mocidade Alegre Aline Oliveira

Águia de Ouro

Escola mostrou evolução do conhecimento humano, da Idade da Pedra à esperança nos robôs. Carro sobre a bomba atômica levou integrantes da comunidade japonesa e lembrou Hiroshima.

A ave-símbolo da Águia de Ouro, no primeiro carro da escola 
A transformação pelos livros, Águia de Ouro
Homenagem da Águia de Ouro à sabedoria oriental
Tati Minerato, musa da Águia de Ouro 

Unidos de Vila Maria

Primeiro carro da Unidos da Vila Maria

Com o samba-enredo O Sonho de um Povo Embala o Samba e Faz a Vila Sonhar, a Vila Maria vai falar “das coisas boas que a China fez pela humanidade”

Os 240 integrantes da bateria vieram vestidos como guerreiros de Terracota, os guerreiros de Xian.
Dani Bolina arrasou na segunda noite de Carnaval em São Paulo, na noite de sábado (22). Desfilando pela Unidos da Vila Maria, a musa apareceu com um body transparente e cavado
Mestre-sala e porta-bandeira da Unidos de Vila Maria 

Rosas de Ouro

A Rosas de Ouro, que fechou o carnaval do grupo especial de São Paulo, apostou na tecnologia. Com Tempos Modernos, a escola apresentou uma série de inovações

Rosas de Ouro: Carro retrata o desenho futurista dos anos 1960, Os Jetsons
Ana Beatriz Godoi, rainha de bateria da Rosas de Ouro, desfilou no Anhembi, substituindo Ellen Roche, que estava há 12 anos à frente da bateria da Rosas de Ouro.
Bateria da escola Rosas de Ouro
Desfile da Rosas de Ouro traz tema sobre quarta revolução industria

Agora vamos aguardar a apuração nesta segunda e assistir o Desfile das Campeãs

Fotos: Carlos Eduardo, Vera Tabach e Rita Bignardi

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *